sábado, 7 de outubro de 2017

O Furacão Irma em Orlando

          No dia 10 de Setembro de 2017 o furacão Irma passou em Orlando. Já 15 dias antes disso, no final de Agosto, os olhos atentos das autoridades já estavam sobre os monitores que mostravam esta tempestade, 5 vezes maior em extensão comparada com o Matthew que também passou pela Flórida em 2016. Eu fiquei em casa tanto no Mathew como no Irma. 

          O Matthew passou a 40 milhas da costa leste e embora os ventos foram muito fortes aqui em Orlando, nada se compara a este último. Aqui na Florida central estava previsto o impacto no domingo à partir das 18 horas. Porém já uma semana antes não se encontrava mais água nos supermercados, gasolina nos postos e muitas outras coisas como velas, lamparinas e o que for de material de "acampamento".

           A gente sente um pouco de raiva do estado de euforia que as pessoas ficam. Gente que nunca bebe água e só bebe refrigerantes foi ao supermercado e comprou 4 engradados de 36 garrafas de água e pra quê? Vai passar o furacão bebendo água? Talvez alguém diga: É água para cozinhar. Oras, água pra cozinhar pode ser estocada da água da torneira dias antes da tempestade. Pode se usar água da piscina, encher a banheira de água também. Na televisão explica tudo, até como tratar a água antes de beber. Mas não, o povo que nunca bebe água "ouve" dizendo na TV que a água está acabando e sai correndo comprar. Gente é tudo igual em qualquer lugar. Principalmente na Flórida é bem parecido ao jeito "levar vantagem" e o "eu em primeiro lugar" que as pessoas reclamam no Brasil. 

          O Irma chegou em Orlando na categoria 2. E eu posso te dizer que é tão assustador, que se um categoria 3 vier eu cato meus 3 cachorros, ponho dentro do carro e me dano daqui. É um desgaste emocional muito grande. Não consegue-se fazer nada, o barulho é terrível, você não sabe se uma árvore vai cair em cima da sua casa e você vai se machucar ou seus cachorros. Não podia dormir no quarto pois eu tenho uma Magnolia de 80 anos em frente dele e se ela caísse (especialmente por volta das 3 da manhã quando os ventos viriam do sul para o norte) eu acordava já no paraíso.

          Fiquei na sala a maioria do tempo até que a luz acabou e por volta das 5am melhorou um pouco, foi quando eu consegui dormir. Não se pode tomar nada pra dormir porque se tiver que sair correndo, você não vai querer estar bêbado correndo na rua no meio da tempestade. O barulho não te deixa dormir, melhora um pouco e de repente BOOOOOOOMMMMM e você se assuta. E é assim por horas, na verdade das 18hs até 4 da manhã. 

          O pior é que no domingo durante o dia Tampa seria a maior afetada pelo furacão. Já 9 da noite ele mudou de rota e nós estávamos na rota do olho. Que ótimo...

        Os cachorros ficaram curiosos com o barulho dos ventos e a chuva. O Dexter ficou apavorado. Já as duas fêmeas levaram na boa. Quando melhorava bem eu levava eles pra fora pra fazer xixi. Mas o Dexter não saiu de jeito nenhum, segurou o xixi por 16 horas - coitado :(

Aqui vão alguns videos que eu fiz. Não se ouve 1/3 do barulho mas só por curiosidade

video

video

video

video

Aqui já estávamos sem luz

video
         
Olha só o barulho dos sapos!

video



          Eu fiz um video no dia seguinte de manhã. Uma pena esta plataforma não permite videos maiores que 100MB
Aqui vão agumas fotos




















Depois de 1/2 dia de limpeza, mas só no dia seguinte quando os ventos pararam:






Nos dias seguintes essa pilha cresceu pois ainda cortamos as árvores que ficaram penduradas e até hoje, 7 de Outubro, não foram retiradas das ruas no nosso bairro. 

           Como eu disse anteriormente, no próximo, tô fora. Eu tinha curiosidade, já vi e sei como é. Na próxima eu tiro férias...
Abs!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Minha Casa em Orlando



               Acredite quando eu digo que reduzir uma vida inteira em 3 malas, assinar a declaração de saída definitiva do país (para o imposto de renda) e se dirigir ao aeroporto internacional de Guarulhos não é uma coisa fácil. Eu estava aterrorizado com a incerteza de tamanha mudança. Logicamente, como todo imigrante, aterrizei nos EUA com a mente e coração cheio de sonhos a realizar. Entre eles, claro, a legalidade, bom emprego, saúde, amigos e uma casa própria. Alguns dizem que isso tudo junto é o American Dream

                Já faz alguns anos que os leitores me pedem para mostrar a minha casa e eu sempre estou esperando por alguma coisa. Esperando que a casa fosse totalmente minha, esperando arrumar aquele quarto, esperando a reforma do piso, esperando a reforma da cozinha e por aí vai. Cheguei à conclusão que eu nunca vou mostrar minha casa porque acredito que ela nunca vai chegar no ponto que eu quero, a saber, a perfeição. Virginiano é assim, perfeccionista. No entanto, uma coisa que aprendi com a "idade" é que casa de revista é para revista. Aquelas casas modernas que tem salas amplas, um sofá e uma pêra no canto é só pra mostrar. Não é uma casa para se viver. 

              A sua casa tem que ser confortável, funcional, segura e por último bonita. E a minha casa é assim, confortável, segura, funcional mas não a casa que talvez as pessoas imaginassem que eu vivo, sendo designer de interiores. No fim das contas, a casa é pra mim, não fiz a minha casa para mostrar aos outros e ela não tem que parecer uma loja ou um show room de móveis. Mas vou mostrar para vocês pois os leitores merecem. 

Na época que a reforma terminou eu entrava e fica horas
dentro da casa sem saber se ia poder voltar. A casa ainda não era minha


O Master Bedroom (suíte principal)

A sala




      

O piso é uma cerâmica que imita madeira
                Outro detalhe é que eu tenho 3 cachorros. Entre a casa que eu gostaria de ter em contraste com a casa que se é possível manter com 3 cachorros vivendo dentro dela, há um abismo. Eu gosto de cores claras. Por mim quase tudo seria mais claro e com tecidos aconchegantes. No entanto, sofá de tecido, com cachorro cheira mal depois de alguns meses e não há quem tire o cheiro dele. Até existe nos EUA sprays que tiram o cheiro dos animais da mobília, mas convenhamos, se está cheirando é porque está sujo. Por isso o couro. E nas camas, claro, toda semana tudo é lavado e sanitarizado. Inclusive os cachorros, sim toda semana e eu quem faço tudo sozinho, pois nos EUA, a não ser que você seja muito rico, você mesmo é quem faz tudo pois uma empregada custa os olhos da cara. Todo mundo que vêm à minha casa se espanta e diz: "Nossa, sua casa não tem cheiro de cachorro!" Ué e tinha que ter??

Annabelle é a preta e branca, Dexter é o preto e Elsa é a Boston Terrier adotada

Os cachorros tem livre acesso à casa. Nunca fazem as necessidades dentro de casa mesmo que
eu fique 9 horas ausente. Eles só fazem no quintal.
Na Flórida é proibido POR LEI deixar um cachorro sozinho sem supervisão
no quintal por mais de 2 horas. Cachorro, pra quem quer ter, tem ficar dentro de casa por causa
das altas temperaturas, tempestades e bichos.
Meus cachorros não só ficam dentro de casa, mas dormem também comigo na minha cama
e é assim que eu sou feliz. 
                Em 2009 quando eu mudei para cá, já vim para morar com o Robert, que era o dono desta casa. A primeira vez que eu entrei nesta casa foi em 2007, quando passei férias com ele e sua família. Em 2016 resolvemos nos separar e ele disse que iria vender a casa. A princípio mudei com os cachorros para uma casa em Winter Park para que esta fosse reformada. Uma vez reformada senti o desejo de comprar e fiz aplicação com o Banco para conseguir o financiamento de 335,000 mil dólares com 10% de entrada. 

                  Muitas vezes eu entrei nesta casa vazia quando ainda aguardava a decisão do banco e pedia a Deus para que desse certo e eu conseguisse comprá-la. E Deus atendeu as minhas preces e o banco anunciou o dia do fechamento no cartório. Só me restava mudar de volta para ela. O Robert estava muito contente que eu ia ficar com a casa, afinal ele viveu aqui por 20 anos e não queria ver a casa nas mãos de estranhos. Queria que ficasse "em família". Sim, continuamos amigos e eu os considero (ele e a Louise) como família. 

O dia da mudança chegou

Dexter veio comigo porque ele sente ansiedade se ficar longe do pai.
Atrás 3 carros + o caminhão, meu irmão e meus melhores amigos que vieram me ajudar
Obrigado André, Denise, Daniela, Nataly e Gustavo. Em poucas horas colocamos
a casa inteira em ordem. Nenhuma caixa ficou pra trás!!

               Chega de muita história e vamos à casa. As fotos falam por si mesmas, em algumas colocarei legendas. 

Janela do meu quarto antes das cortinas


















Minha casa fica em Audubon Park, um dos bairros mais desejados de Orlando.
Uma casa à venda aqui dura poucas semanas no mercado quando não é
vendida no mesmo dia. 
























"A grama do vizinho é sempre mais verde" diz o ditado
Eu sou o tal vizinho...mas dá um trabalho...

























O lustre é da década de 70 e foi adquirido na Alemanha pela mãe do Alex

A Back Porch - A varanda atrás da casa











Banheiro do Master

Meu quarto. Antes que alguém pergunte, sim eu abro as cortinas para ver a paisagem todas as manhãs



Hóspedes

Banheiro do quarto de hóspedes

Escritório. Minha mesa é a da direita, a do Alex a esquerda
Aqui funciona (por enquanto) a
Uno Realty Group e Studio R Interior Deisgn

Cozinha de 1 piloto só





Eu gosto do contraste de paredes escuras com guarnições brancas por isso
pedi ajuda para meu irmão para pintar alguns cômodos antes de
entrar na casa novamente. 



Os cachorros adoram o quintal




;-)

            E aí que as 3 malas se transformaram em uma casa inteira que mal coube em um grande caminhão. Eu posso dizer que realizei todos os sonhos que tinha quando cheguei nos EUA porém nada foi de mãos beijadas. Tudo foi e continua sendo com muito esforço, como parece ser a história da grande maioria dos imigrantes. Ano que vem me torno cidadão e depois? Boa pergunta...
Abraços a todos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...